Diga não a Gordofobia

Leia mais

Retrospectiva 2017 (+ lidas)

Leia mais

Papo de amiga - Vamos ser felizes em 2018

Leia mais

27.3.15

Dica de Filme: Sniper Americano

Hi Guys! Tudo bem?
Faz algumas semanas em que fui ao cinema assistir à esse filme e só agora consegui depositar minha total atenção no post, então espero que me desculpe. 
Vocês sabem que eu amo tudo que aborde o mundo militar, principalmente quando se trata de Marines, SEALs e etc... Tanto amo que em minhas histórias tem que haver pelo menos um personagem com carreira militar! (Risos)

Bem, espero que gostem!


Sinopse:
Adaptação do livro American Sniper: The Autobiography of the Most Lethal Sniper in U.S. Militar History, o filme conta a história real de Chris Kyle (Bradley Cooper), atirador de elite das forças especiais da marinha americana. Durante cerca de dez anos ele matou mais de 150 pessoas, tendo recebido diversas condecorações por sua atuação na Guerra do Iraque.



             


Não posso afirmar se o filme foi muito ou pouco fiel ao livro porque ainda não o li, então vou compartilhar com vocês a minha opinião baseada no que assisti. Devo dizer que eu estava louca (quase entrando em crise nervosa) para ir ao cinema conferir e quando minha irmã convidou para ir dormir na casa dela, já planejava induzir meu cunhado e ela a irmos no cinema assisti-lo. Afinal, minha cidade é tão pequena mais tão pequena, que não há nenhum cinema e muito menos um Shopping, o que definitivamente é uma lástima. :(


Bem, chega de devaneios! O filme é o assunto aqui e não o que falta na minha cidade! (Risos)



O filme possuí tudo o que o filme de guerra americano tem, patriotismo, o sacrífico de ficar longe da família, as lembranças dos momentos que ferram com a mente dos militares, a dificuldade que um soldado tem em voltar para sua vida normal. Algo que não vi em nenhum momento foi a parte "feia" da guerra que muitos gostam de ressaltar e a partir daí já engatam um discurso anti-militares, por serem os grandes caras maus. Verdadeiros matadores de crianças! É óbvio que não discordo que exista muitas histórias obscuras nas entrelinhas das grandes guerras, muitas vezes protagonizadas pelos que foram considerados heróis, mas eu também seria injusta em dizer que absolutamente todos surtaram na guerra e saíram matando gente inocente, estuprando todo mundo... Não. Definitivamente não acredito nisso e segundo o filme, Chris Kyle pode provar isso muito bem! 
Um homem que desde quando era apenas um menino mostrava ser valente e ter o dom para ser um sniper, já que seu pai o levava para caçar. Enquanto o irmão dele era mais frágil e isso aborrecia o pai, pois, ele faz o tipo que não aceita que seus filhos apanham. Portanto, era o Chris quem defendia o irmão. 

A interpretação de Bradley Cooper, em minha humilde opinião (sou uma péssima crítica de cinema!), achei que ele realmente se jogou de cabeça no personagem e diante do telão do cinema, vi que nunca poderei comparar aquele personagem com outro que já tenha feito. Eu vi o Chris Kyle ali, tanto na aparência quanto nos gestos e o jeito quase que introspectivo em alguns momentos. Não sei se algum outro ator conseguiria incorporar Kyle de modo tão grandioso quanto o Cooper. #PalmasParaEle #SeuLindo 

Em geral, eu amei o filme por abordar a dificuldade que a esposa e o restante da família passam quando o patriotismo é posto a frente de tudo, o quão difícil é retornar de uma guerra enquanto seus amigos continuam a combater e infelizmente a morrer, fazendo o soldado que volta para casa se sentir culpado. Também gostei de ter mostrado um pouco de como a mente de um homem - que possuí uma tarefa tão importante em uma equipe, funciona na hora de ter que tomar uma decisão difícil.  Porém, o que mais me mexeu comigo é que - pelo menos no filme mostrou - Kyle não se sentia atormentado por ter matado tantas pessoas... A coisa que mais o atormentava eram os irmãos de farda que não pôde salvar! Vocês têm ideia do quanto isso mexeu comigo? Porque é dessa maneira que eu sempre fantasiei de como um sniper pensa em relação aos seus alvos. 
É como eu pensaria, com certeza!

Chris Kyle


Li uma porção de críticas sobre o filme e pelo menos a maioria dizia que o filme não contou nem um terço da verdade sobre o Kyle, que um sniper não pode ser considerado um herói. Não cheguei a pesquisar direito e ainda pretendo ler o livro que inspirou o filme, mas posso afirmar que mesmo eu desejando que sempre a paz prevaleça, ainda assim não conseguirei diminuir a minha admiração, o meu interesse por esse mundo que envolve a carreira militar. Podem xingá-los de covardes, assassinos cruéis ou odiar os Estados Unidos, mas eu ainda acho admirável que um pai de família saia do conforto da sua casa com o sentimento de dever de proteger a sua família, os seus amigos e os irmãos de farda. 

Então é isso... Apesar de toda crítica negativa que li, eu ainda continuo amando o filme, o trabalho que o Kyle tinha e o forma invejável que eles enfrentam o perigo com o ideal de alcançar a paz, a tranquilidade e a tão sonhada liberdade. Por isso esse filme é recomendadíssimo para os fãs e os simpatizantes desse gênero! :)

~~X~~

Espero que tenham curtido! Até mais!

0 Comments:

Postar um comentário

 
Posts Relacionados