Diga não a Gordofobia

Leia mais

Retrospectiva 2017 (+ lidas)

Leia mais

Papo de amiga - Vamos ser felizes em 2018

Leia mais

16.5.15

Dica de Leitura: Claros Sinais de Loucura - Karen Harrington




Hi guys! Tudo bem?
Novamente fui pega pelo infeliz bloqueio criativo para postar aqui no blog, até poderia ter feito uma playlist e tal, mas não curto muito ser repetitiva aqui. Em nenhum outro lugar na verdade! (Risos)
Como faz algum tempo que não publico nenhuma dica de leitura - não posso chamar de resenha porque estou longe de conseguir um resultado descente, resolvi vir compartilhar o meu mais novo livro incluído na curta e bem escolhida lista de favoritos.


Espero que gostem!




Sinopse:
Amor pode ser uma palavra-problema para algumas pessoas. Loucura também. Eu sei bem.
Você nunca conheceu ninguém como Sarah Nelson. Enquanto a maioria dos amigos adora Harry Potter, ela passa o tempo escrevendo cartas para Atticus Finch, o advogado de O Sol é para Todos. Coleciona palavras-problema em um diário, tem uma planta como melhor amiga e vive tentando achar em si mesma sinais de que está ficando louca.
Não é à toa: a mãe tentou afogá-la e ao irmão quando eles tinham apenas dois anos, e desde então mora em uma instituição psiquiátrica. O pai, professor, tornou-se alcoólatra. Fugindo da notoriedade do crime, ele e Sarah já se mudaram de diversas cidades, e a menina jamais se sentiu em casa em nenhuma delas.
Com a chegada do verão em que completa doze anos, ela está cada vez mais apreensiva. Sente falta de um pai mais presente e das experiências que não viveu com a mãe, já se acha grande demais para passar as férias na casa dos avós, está preocupada com a árvore genealógica que fará na escola e ansiosa pelo primeiro beijo de língua que ainda não aconteceu. Mas a vida não pode ser só de preocupações, e, entre uma descoberta e outra, Sarah vai perceber que seu verão tem tudo para ser muito mais. Bem como seu futuro.



Esse foi um livro extramente gostoso de ler. Apesar da estória ter sua parcela de drama tenso, não me causou cansaço e muito menos tédio. Na verdade não consegui largá-lo. Tudo graças a talentosa Karen Harrington, que criou a personagem de doze anos mais corajosa que já tive o prazer de conhecer. Sarah Nelson é corajosa, autêntica e tão inteligente, mais tão inteligente que às vezes me esqueci que o livro é pelo ponto de vista dela, que repito, é uma menina que acaba de completar 12 anos. Talvez o motivo seja a triste realidade de viver sem a mãe, lidar com o alcoolismo do pai e a pressão social que qualquer menina sofre ao querer ser alguém normal, principalmente ela... Uma garota que é obrigada a se mudar toda a vez que descobrem a sua ligação com Jane Nelson!

Mesmo que eu já tenha 20 anos (#velha), em diversas partes me identifiquei com a Sarah, como quando encontra uma palavra nova favorita e ela se sente na obrigação de usá-la em algum momento. Na maior parte do livro ela se mantém calada, sem expressar o que sente com medo do que as pessoas possam pensar dela, principalmente a Charlotte e Finn, que são fundamentais nessa transição de idade. Charlotte ajudando-a nos assuntos femininos que conhecemos tão bem e Finn que acaba se tornando o seu vigia da cripta dos segredos, além de ser seu primeiro amor. Afinal qual garota não se apaixonaria por um cara que tivesse os mesmos gostos que o seu? Eu com certeza me apaixonaria.
Admito que a ausência do Tom - pai da Sarah - realmente me incomodou, mesmo entendendo que alcoolismo não é como uma gripe que só com um xarope já desaparece e que Sarah consegue camuflar bem tudo o que se passa por sua mente. Seja um personagem ou pessoa real, acho que jamais conheci alguém que possuísse um diário para escrever absolutamente tudo o que realmente sente e outro diário falso só com coisas bobas típicas de uma garotinha normal, especialmente para quem fosse vasculhar as suas coisas. 

Bem como sugere o título, a corajosa personagem parte em busca de respostas que seu pai não lhe dá sobre a sua mãe e tenta identificar sinais de loucura nas coisas que diz, faz e pensa, encontrando outros anjos em sua "investigação" ao decorrer da trama, como a Sra. Dupree e sua deliciosa torta de maçã. Onde ela (Sarah) mostra mais uma vez de forma explícita o quanto é madura, deixando você, eu e mais uma porção de gente no chinelo. 

Gostaria de poder colocar cada frase que gostei ou momento predileto, porém isso não seria justo com a autora e toda essa realidade excepcional que ela conseguiu construir em torno de uma personagem tão jovem. 


Portanto... Recomendo esse livro à todos aqueles que procuram uma estória no qual possam rir, odiar, lamentar, se apaixonar e chorar, com uma narrativa deliciosa que fará você se perder no tempo.   

----------------------------------------------------------XXXX-------------------------------------------------------


Espero que tenham curtido! Até mais!

0 Comments:

Postar um comentário

 
Posts Relacionados