Papo de amiga - Gordofobia

Leia mais

6 filmes de terror que vão estrear em 2018

Leia mais

Virei mãe de gato e agora?

Leia mais

12.1.17

A vida não tem prazo de validade



Sinceramente, eu não entendo o porquê de tantas pessoas esconderem o que sentem. Há o amor, o agora, a vida... Há tanta possibilidade otimista, tanta oportunidade de ser feliz e tanta gente que desperdiça.

Não faz sentido insistir no lado ruim das coisas, enfatizando o medo e as possíveis decepções. A felicidade grita por urgência. E porque não ouvi-la? Diga-me, porque não se entregar? Já que a vida é tão incerta, tão breve, pra quê desperdiçar valiosíssimos segundos com prudência em demasia?

Eu sei que existe o medo, sei de cor sua dimensão. Mas, lembre-se: coisas ruins não servem de exemplo. E essa história de poder ou não dar conta, com todo o respeito, é desculpa de gente covarde. Entenda que o mesmo tempo que você gasta roendo as unhas ou abrindo a geladeira pra pensar, poderia ser usado pra dar um abraço apertado em alguém ou dizer um 'eu te amo' daqueles que chegam a ser assustadores de tão verdadeiros. 

Vai mesmo ficar vendo a sua existência se esgotar na tela do seu celular, enquanto você assiste os capítulos surreais daquele seriado feito por gente que queria viver de verdade mas não tem coragem? 

Existiam milhões de fulanos loucos pra nascer no seu lugar e você não ganhou a corrida pra ficar aí, se conformando com dias cinzas. Não alimente um grande e injurioso desperdício. Vá viver.

Eu tinha o triste hábito de limitar minha alegria por medo de sofrer com as possíveis consequências e, depois dessa burrada, percebi que sentimentos contidos não dão flor. Por medo, o que merecia sorrisos e suspiros involuntários acabava passando em branco. E a alegria, de tanto ficar guardada, de tanto esperar a hora certa, murchava ou sumia.

Subjetivismo à parte, quero dizer que não adianta segurar os impulsos do seu coração e tentar fingir ser o que não é. Não permita que o anseio delimite sua personalidade, suas ações e, principalmente, seus sonhos. Eu sei a dor de ser autêntica, mas sei, também, a felicidade e o contentamento que o meu ser me proporciona.

Mesmo que venha a sofrer, o certo é permitir que a alma seja verdadeira, sem máscaras ou características mal interpretadas pelos vestígios de alguma insegurança incompetente. Doe-se de bandeja, seja intensa, corra riscos e pare de conter quem você é e o que deve demonstrar. A vida tem prazo de validade e não existe uma embalagem que nos permita ver a data. 

Portanto, que se dane a prudência! Porque, no final, seja pelo que for: o propósito é sempre amar. E quando o assunto é amor, por ele, tudo se justifica.


Nós acompanhe também:

0 Comments:

Postar um comentário

 
Posts Relacionados