13.12.18

Millenium II: A Menina Que Brincava Com Fogo




     O livro A Menina Que Brincava Com Fogo, conta apenas com a versão sueca, a qual foi lançada em 2009, e é sequência direta ao filme que já mencionamos aqui no blog, chamado Os Homens Que Não Amavam As Mulheres, que falamos nesse post. Michael Nyqvist e Noomi Rapace fazem novamente parte do elenco como os protagonistas Lisbeth e Mikael.
     Esta adaptação é particularmente longa, contando com 2h 9m.

SINOPSE:
      Um ano depois de ter realizado um bem-sucedido roubo milionário, Lisbeth Salander volta à Suécia e se estabelece novamente na capital Estocolmo. O jornalista Mikael Blomkvist continua como editor da revista Millenium e agora está auxiliando um colega, Dag Svensson, que escreve sobre tráfico sexual de jovens mulheres no país. A situação fica complicada quando Mikael vai à casa de Dag buscar umas fotos para a revista e encontra o jornalista e a namorada dele mortos. Na arma do crime, uma surpresa: as impressões digitais de Lisbeth estão por toda a parte. Mikael investiga o paradeiro de Lisbeth e busca contatos próximos a ela para localizar a moça. O passado de Lisbeth retorna para assombrá-la quando ela chega perto de quem armou contra ela. Baseado no segundo livro da Trilogia Millenium, de Stieg Larsson.

TRAILER:

ALERTA DE POSSÍVEIS SPOILERS

ANÁLISE:
        Como dito no outro post, os problemas de adaptação se repetem, ou seja, se você leu os livros vai encontrar diferenças. Essas diferenças não me incomodam particularmente, pois raramente uma adaptação literária, ou de um anime, ou mangá, ou jogo, etc. vai ficar tão fiel quanto o original, afinal o autor do livro está tratando com a imaginação, e esta é ilimitada, e muita coisa que se usa em um livro tem de ser adaptado quando se adentra no universo cinematográfico. 
         O ritmo do filme é diferente do anterior (por isso fiz questão de avisar sobre sua duração), o que não prejudica o valor da obra, mas é algo a ser considerado por quem vai assistir, já que as cenas de ação são menos comum do que o suspense que toma conta do longa.
        O filme trata dessa busca implacável por Lisbeth, além de seu linchamento midiático, no qual exploram sua vida e a acusam de “ser louca” e prostituir-se. O bacana, se é que dá de ser bacana, é a crença inabalável de Mikael na inocência de Lisbeth. Ele não a julga, ou coloca em cheque em momento algum sua dignidade e honra, o que só demonstra a bela amizade existente entre os dois. 
         Detalhe: Quase não há interação entre Mikael e Lisbeth nesse longa.
       Além do mais, em determinado momento quando está defendendo Lisbeth e o porque ela jamais mataria o jornalista e a criminologista, Mikael afirma: Lisbeth despreza homens que odeiam as mulheres. 
      E, as revelações do porque ela se sente dessa maneira, temos nesse longa, pois descobrimos que Lisbeth teve um pai abusador, que maltratava sua mãe, a ponto de que quando criança, nossa Hacker teve de fazer justiça com as próprias mãos.
O homem queimou como uma tocha.
   O problema das sérias consequências que pesaram sobre Lisbeth, a tornaram quem é. Ninguém espera que uma criança que pratique tal ato não tenha ao menos um acompanhamento psicológico, mas o que ocorre com a Lisbeth reflete injustiças sociais e machismo. Na verdade, grande parte dos homens retratados no longa demonstram o ódio por mulheres, e até mesmo a justificativa de suas brutais ações baseadas em gênero.
   Claro que justiça com as próprias mãos como Lisbeth se propõe a fazer não é correto. Violência com violência jamais é a resposta, e essa foi a tentativa ao alcance de Lisbeth de restabelecer o seu controle pela situação.

Por que assistir?
   Lisbeth continua maravilhosa nesse longa, e desta vez há um vilão diferente que dominará os acontecimentos dos dois próximos filmes (olha o spoiler 😝). Além de que, é sempre bom ver ela chutando bund***. Se você se interessa por mistérios, e odeia homens que odeiam mulheres, você gostará desse filme.

Nós acompanhe também:




12.12.18

The Boy: Um terror diferente


     Há um tempo atrás eu estava na febre Annabelle (sim, eu gosto) e decidi assistir esse filme, pois a sinopse vaga me fazia pensar que seria um bom passatempo ou algo semelhante, e acabei encontrando esse filme, que na verdade é uma caixinha de surpresas.
   No Brasil, o filme é conhecido também pelo título: Boneco do Mal, e está disponível na Netflix.

SINOPSE:
    Greta (Lauren Cohan, a Maggie de The Walking Dead) é uma jovem mulher norte-americana, que busca fugir de seu passado cheio de problemas, e acaba aceitando um emprego em uma pequena aldeia na Inglaterra como babá para o filho de oito anos de um casal rico, ao chegar no local descobre que a criança na verdade é um boneco.

ALERTA DE SPOILER
ANÁLISE:
      O interessante do filme é, se você gosta de filme de terror e quer assistir algo do gênero com uma pessoa que não gosta do gênero ou é medrosa, talvez esse seja o filme 😜.
      A Greta é contratada pelos pais do Brahms ou boneco, para ser babá  durante o tempo que durar as férias do casal, e a moça aceita para se afastar dos problemas que teve com o ex. Para cuidar do Brahms há uma série de exigências:

REGRAS: 1) Nenhum Convidado. 2) Nunca Deixe Brahms sozinho. 3) Salve Refeições no Freezer.    4) Nunca Cubra Seu Rosto. 5) Leia uma História de Dormir. 6) Tocar Música Com o Volume Alto.    7) Limpe as Armadilhas. 8) Apenas Malcolm Traz Entregas. 9) Nunca sair sem Brahms.
  10) Beijo de Boa Noite.

   A moça não leva a situação a sério, e por vezes descumpre a lista de regras, e como em todo o filme de terror isso tem um resultado assustador. A primeira parte do filme trabalha com essa ideia do boneco ser ou não amaldiçoado, e por vezes você se pega perguntando se este seria uma versão de Annabelle.
   Há uma cota razoável de jumpscares¹, mas nada muito amedrontador, e novamente ressalto que eles funcionariam bem para quem está pensando em se aventurar no gênero terror e tem algumas ressalvas.
   O filme foi e é bastante criticado pelo desenrolar de sua segunda parte, a qual muda completamente a nossa ideia do que está realmente acontecendo ali. Além de que, consegue instaurar uma nova neura na sua cabeça. Há a presença de alguns estereótipos clássicos de filmes de terror como a protagonista entrar em um lugar que a porta abriu sozinha, e coisas do tipo, mas isso não diminui o valor da obra.

Por que assistir?
    Se você gosta de filmes de terror, e quer ver com alguém que tem medo, ou quer se aventurar nesse gênero e não quer pegar algo pesado logo de início, esse filme é uma boa sugestão. Nada muito pesado, além de ter uma uma história que consegue prender. A duração não é muito longa, e o ritmo é bom.
    E, como dito anteriormente, o final é surpreendente.

¹Jumpscares: é uma técnica explorada por jogos, séries, filmes, para tentar assustar a audiência com uma mudança repentina ou surpresa abrupta.


Nós acompanhe também:

10.12.18

Papo de Amiga - Seja Egoísta

Oi, oi, oi, como vai você?
Eu estou exausta, mas bem, espero que vocês estejam melhores que eu e mais descansados. 
Este post era de sábado, mas devido a alguns contratempos no trabalho, não deu, nem ontem...
Então estou aqui hoje!
Esses dias (não tão esses dias, fiz uma pastagem falando sobre ser uma boa pessoa, depois falei sobre isso de novo aqui.
Hoje vim dizer que às vezes, a gente tem que ser egoísta as vezes e tá tudo bem!

6.12.18

Como ter um "corpo de praia"?

Hey Guys, como estão? 
Quantas vezes vocês já se perguntaram "como ter um corpo de praia?" porque por mais que você seja magra, esbelta e esteja de bem com o seu corpo em algum momento você já desgostou de alguma parte sua... 

A verdade é que precisamos de três fatores para ter um "corpo de praia";
1: Tenha um corpo - 2: Vá a praia - 3: Divirta-se
"Autor desconhecido"