17.11.18

Uma boa pessoa

Oi, oi, oi, como vai você?
Eu estou bem, ansiosa para o fim do mês, pois várias coisa vão acontecer como ir ver minha família e amigos no Paraná. Espero que vocês estejam bem e felizes.

Essa semana lí um texto maravilhoso, que decidi compartilhar com vocês, confere aí e me diz, você é uma boa pessoa?
(Onde você vai, Bart?) 

15.11.18

Aggretsuko e a fúria do funcionário assalariado





      A princípio quando se vê essa animação na netflix, pode se pensar que não passa de a história de algum animalzinho fofo, baseado em algum mangá japonês, ou coisa parecida. Mas, isso não acontece com Aggretsuko. Mesmo tendo um design “bonitinho” a animação trata de temas sérios como assédio no trabalho, pressão social e machismo.
      A animação é de 2018 e conta com 10 episódios, tendo em média 15 minutos, a censura é 12 anos e está disponível na Netflix, mas esta é a versão web, pois a versão anime conta com 100 episódios no Japão, e está sendo produzido por lá desde de 2016.
     A Netflix já anunciou que a animação terá sua segunda temporada em 2019.

SINOPSE:
     Retsuko é um panda vermelho, que tem 25 anos e está solteira. Ela trabalha no departamento de contabilidade de uma trading japonesa. Enfrentando frustração constante todos os dias de superiores insistentes e colegas de trabalho irritantes. Retsuko se liberta de suas emoções no karaokê todas as noites ao cantar death metal. Após cinco anos de trabalho presa a rotina diária, seu relacionamento com seus diversos colegas de trabalho começa a mudar e alterar drasticamente sua vida e personalidade.



ANÁLISE:
*AVISO DE SPOILERS*

      Uma curiosidade interessante sobre a animação é que Retsuko é uma mascote da Sanrio, e para quem não se lembra pelo nome, é a mesma empresa da Hello Kitty. Mas, devo deixar claro que a animação não é apenas fofinha, ela vai além. Retsuko luta com vilões bem diferentes que sua colega de empresa.
      Retsuko usa de situações cotidianas que todo mundo já passou no trabalho, como ônibus lotado, odiar seu emprego (mas continuar nele pois, precisa do dinheiro), ser explorada pelo chefe, sofrer assédio no trabalho, fofocas e etc.
      Como dito na sinopse, Retsuko usa como escape dessa rotina tóxica o death metal, mas ela não ousa contar a ninguém sobre esse seu outro lado, pois tem medo de ser julgada.
      Digo rotina tóxica, pois seu chefe, Supervisor Porcão (que é literalmente um porco machista), a explora no trabalho, além de chamá-la de Parasita. Há um determinado episódio em que ele afirma para Retsuko que: Pegar chá é parte do trabalho para mulheres. (...) Mulher incompetente pode ser chato, mas é melhor do que a competente, né?
      Esse mesmo Supervisor Porcão, não trabalha, fica sempre testando suas tacadas do golf, e só trata de maneira mais “educada” quem puxa seu saco, ou funcionárias que são bonitas e puxam seu saco.
Eu amo golf! Posso ir com você na próxima vez?
      Por falar em beleza, há uma personagem bastante interessante neste aspecto, e que nos faz ter sentimentos conflitantes, a Tsunoda. Tsunoda é uma gazela, além de ser extremamente fofa, ela usa sua beleza e adulação de ego alheio para sobreviver a esse ambiente hostil de trabalho, e não cair nas mesmas armadilhas que jogam para Retsuko. Há personagens que não gostam dela por isso, e em grande parte da animação, e até Retsuko em alguns momentos a desaprova, até que Tsunoda explica o porque o faz. A verdade é que Tsunoda é uma sobrevivente, não estou aqui para dizer se seu método é certo ou errado, mas o fato é que existem Tsunodas por ai, e é provável que elas mesmas não gostem de seus métodos que são nada mais do que fruto do machismo da sociedade. 
Incrível!
      Tanto é, que após uma conversa com Tsunoda, Retsuko freia um pouco seus julgamentos para a colega, e passa a entendê-la melhor, além de até mesmo tentar explorar sua estratégia, afim de diminuir o assédio do seu chefe.
      Como essa estratégia não da certo (além da sua tentativa de montar uma loja como uma antiga colega, que também vai pelo cano), Retsuko decide que precisa arrumar um boy, que tenha um bom emprego e casar, para que assim se veja livre dessa situação em que se encontra.
      Só que ela acaba se perdendo em apuros, pois começa a namorar com Resasuke, que é do financeiro da sua empresa. E, assim pra agradar aos padrões estabelecidos socialmente, ela modifica sua personalidade, torna-se passiva e etc, e isso acaba a sufocando. E quando ela finalmente decide demonstrar para ele quem realmente é, levando-o ao karaokê e cantando death metal, o relacionamento acaba. O término ocorre, pois, ela idealizava Resasuke, e apaixonou-se pela ideia que ela fez, e não por quem ele realmente era.
Curar a dor, no meu lugar secreto!
      O interessante desse episódio do término dos dois, é que demonstra que durante todo o tempo em que estiveram juntos, ambos estavam em um relacionamento de aparências, pois ela não o deixava perceber quem era (em relação ao death metal), e ele também, só que em relação a sua paixão por plantas.
      Outro fator interessante da história da Retsuko, são as maravilhosas Gori e Washimi, que dentro da empresa estão dentro de uma posição de maior prestígio que a Retsuko, e são consideradas como mulheres que beiram a perfeição.
                   Hey Washimi, vou te dizer a verdade, andar dessa maneira faz minhas costas doerem.
Gori... Nós não podemos mostrar o menor sinal de fraqueza no escritório. Eu conheço um bom quiropraxista.
       Ao redor das duas os outros funcionários colocam uma aura de poder e respeito, mas a verdade é que as duas para manter as aparências, estão sempre maquiadas, sempre de salto alto e etc., claro que isso não é um problema, desde que seja uma escolha da mulher, e não uma obrigação para que ela seja respeitada e vista como um indivíduo que merece respeito.
                                
      Gori e Washimi se tornam grandes amigas de Retsuko, e acabam descobrindo seu segredo obscuro (que ela canta death metal), mas não a julgam como ela acreditava que aconteceria, na verdade, das duas Retsuko só recebe apoio e até mesmo ajuda a respeito do assédio do Supervisor Porcão.
                                      
     Ao meu ver, a amizade das três é um dos melhores exemplos positivos sobre amizade feminina, onde não há competição ou brigas desnecessárias por boys, e sim, amor, companheirismo e empatia.
     A animação é bastante complexa, e trata de forma divertida vários aspectos sociais negativos, além de destacar um grande amadurecimento da personagem e na maneira como ela lida com esses problemas, e como os personagens ao seu redor lidam com essas situações. Podemos dizem sem medo de que a animação vai bem além da fofura, e consegue acarretar em várias críticas sociais.

BÔNUS:
Protein!
    Há um personagem que não aparece muito, mas toda a vez que aparece nos rende bons momentos, o Professor de Yoga. Na maior parte do tempo você não sabe se ele está entendendo corretamente o que está acontecendo a sua volta, mas até mesmo a amizade de Retsuko, Gori e Washimi, se deve a ele. Detalhe, ele não fala outra palavra se não PROTEIN.
   Se você, assim como eu gosta de animações, vale a pena assistir Aggretsuko!

Nós acompanhe também:






13.11.18

Não é assim, um Masterchef - O Preguiçoso

Hey Guys, como estão? 
Hoje vamos estreia aqui no blog um quadro diferente (na verdade reinventado)
Digam olá para o quadro 'Não é assim, um Masterchef" que como o nome denuncia é sobre comidinhas  

Assim como eu as meninas (Fran e Thays) gostam de inventar, copiar, reinventar comidinhas e decidimos que vamos compartilhar aqui com vocês essas receitinhas. 
Algumas famosas na internet, outras famosas nas nossas casas... haha 
Esperamos que vocês gostem e salivem! Let's go. 

10.11.18

Noble, My Love e o relacionamento abusivo

Antes de falar em específico do dorama que dá nome ao post, eu gostaria de esclarecer alguns pontos, caso alguns leitores ainda não saibam o que é um dorama, já que, se trata de algo que ainda está começando a se popularizar no Brasil. 

Doramas são basicamente séries asiáticas, mas essa classificação pode ter variação. Já que, é muito comum chamar de doramas apenas os J-Dramas, que seriam os dramas japoneses. Desta forma, teríamos o k-drama (drama coreano), taí-drama (drama tailandeses), que também é conhecido como lakorn, etc. Digo, desta maneira para generalizar, pois, são muitas as subdivisões, sendo baseadas no país que deu origem a série. 

Os doramas tem algumas características bem específicas, como por exemplo a duração. É muito raro você encontrar um dorama que tenha uma duração menor de 45 – 60 minutos. E geralmente, têm em torno de 16 – 20 episódios, tendo raras exceções. 

Há recentemente, uma popularização de doramas com uma duração menor, que também podem ser chamados de WebDramas, como o que será analisado. Falo recente, pois, caso você seja familiar aos doramas há mais de cinco anos, você deve se lembrar que produções com uma duração menor do que o que foi mencionado antes não era o comum. Dá mesma forma, que cinco anos atrás o processo para ter acesso a este tipo de série era mais complicado. 

Bom, feita a introdução, irei falar agora do dorama.