7.3.14

5 Lições sobre positividade que aprendi com Harry Potter


Ai gente, sabe aquele dia que te da uma vontade louca de falar sobre a força do pensamento positivo? Hoje é um desses dias ... 
Decidi listar e compartilhar!
Por isso, vamos começar a listar aqui algumas histórias em que aprendemos (e muito!) sobre a força do pensamento positivo e das coisas boas que a vida pode nos dar. Para começar, um dos livros mais importantes da minha vida: Harry Potter <3
Antes de qualquer coisa, é bom avisar que esse post contém spoilers! Eu sei que os livros já foram lançados faz um bom tempo, assim como todos os filmes, mas sempre tem alguém que ainda está no meio da saga, né?
Harry Potter foi um livro marcante durante a infância e adolescência de muita gente, inclusive a minha. Cresci junto com ele, mudei e aprendi a lidar com muitas coisas que aconteciam comigo nessa época: comecei o livro quando tinha 16 anos e meu Deus, que nervoso eu ainda estou esperando a minha cartinha de Hogwarts! hahahaha.
É impossível não falar dele sem sentir aquele carinho e lembrar de todos os detalhes com uma certa nostalgia. De uma forma ou de outra, a história marcou crianças e adultos, e todo mundo carrega um pouquinho daquele sonho de ter uma coruja de estimação, pedir conselhos para o Dumbledore ou ter um suéter tricotado pela Senhora Weasley. Mas, além de tudo isso, quero te mostrar que Harry Potter nos deixou algumas lições bem importantes! Vamos lá...

Ron superou a sua fobia de aranhas gigantes e olha, a gente sabe que não foi tão fácil assim. Enfrentou também o medo de encarar conflitos, entrar em batalhas, e até de declarar suas paixões. Apesar de se apavorar milhares de vezes, em certo ponto Ron precisou vencer cada um desses medos para seguir em frente. Ninguém sabe a melhor forma de lidar com a vida, a gente vai descobrindo e dançando conforme a música. É o famoso “se tiver com medo, vai com medo mesmo”, sabe? (:
Harry também precisou lutar contra o seu maior medo para destruí-lo: matando as Horcruxes, ele mataria Voldemort. Enfrentar cada uma das Horcruxes significava enfrentar, de certa forma, um medo do passado. Cada luta era uma preparação para a luta final, o “chefão” no fim da fase – encarar a sua maior ameaça significava enfrentar a si mesmo. Muitas vezes o medo vive dentro de nós e nem nos damos conta. Calma, muita paciência, grandes amigos e foco. Não há medo tão grande que esses ingredientes não possam combater.

Hermione não era “bruxa de nascença”, ou seja, ela era aquilo que eles chamam de “trouxa”. Malfoy e sua turma viviam desmerecendo Hermione, dizendo que ela não era capaz de se tornar uma boa bruxa e nem deveria estar ali, para início de conversa. Mas a própria mãe de Harry também era trouxa, fazendo dele um bruxo mestiço.
Quem acompanhou toda a série sabe o quanto existia preconceito com bruxos de famílias trouxas. Alguns dos mais radicais defendiam que, aqueles que não eram totalmente puros, de mãe e pai bruxos, deveriam ser extintos. Hermione precisou se provar constantemente - não importa a sua origem, o que você tem ou deixa de ter, você é igual a todo mundo. E o melhor de tudo é que, além de fazer feitiços de igual para igual com os outros bruxos, ela provou ser ainda melhor que muitos de sangue puro. – beijinho no ombro muah*
Harry e sua turma lutaram contra Dolores Umbridge e suas péssimas aulas em Defesa Contra a Arte das Trevas. Formaram um novo grupo de estudo, a Armada de Dumbledore, e seguiam aprendendo entre eles, da forma como acreditavam ser a mais correta. Com os treinos, aprenderam não só a performar novas magias como também a se preparar contra Voldemort e os Comensais da Morte que se aproximavam de Hogwarts.
Manter-nos fiéis a nós mesmos e lutar por aquilo que achamos ser correto não é tão fácil quanto parece, principalmente quando encontramos pessoas que não apoiam nossas decisões. Mas, se lá no fundo a gente sente que aquilo pode dar certo, porque não tentar seguir em frente?

Imagine a vida como uma grande Penseira: o que você gostaria de levar daqui pra frente? O que cada momento te ensinou de melhor?
A Penseira era uma grande bacia em que Dumbledore guardava lembranças importantes não apenas suas como de outras pessoas. Seja para desocupar espaço na cabeça de alguém ou para levar algum conhecimento à frente, a Penseira foi uma ferramenta poderosa que ajudou Dumbledore a ensinar Harry em momentos cruciais da sua jornada.
Sim, nós aprendemos com as coisas ruins que acontecem com a gente, mas depois precisamos seguir em frente. O passado é aquilo que nos transforma em quem somos hoje. Ganhamos experiência e evoluímos para melhor. Quando Harry via suas características em Voldemort, Dumbledore dizia: “São suas ações que dizem quem você é, e não suas habilidades”.  Não podemos deixar que o passado nos consuma ou nos prenda para sempre: guarde com muito carinho as coisas boas que aconteceram, e deixe as ruins bem no fundo da Penseira. Remoer aquilo que fez tanto mal pra gente só torna a vida mais difícil.

Os Dementadores são criaturas das trevas que se alimentam da felicidade da alma humana, espalhando tristeza e depressão por onde passam. A força do pensamento negativo funciona exatamente como um Dementador: quanto mais a gente se alimenta dela, mais a gente afunda.
A única forma de combater um Dementador é se mantendo forte nos pensamentos positivos: assim que os Dementadores apareciam, a pessoa era obrigada a reviver seus maiores medos – lutar contra eles e manter o foco em coisas boas era um verdadeiro desafio. Para nós, esse desafio é bem parecido: pensamentos negativos geram ainda mais pensamentos negativos. Claro que a gente não consegue ser feliz o tempo inteiro, nem estar feliz 24 horas por dia, mas devemos tirar o foco principal das coisas negativas que nos cercam. Permita-se sentir medo, mas deixe que isso vá embora e não tome conta de você.

Harry, Ron e Hermione não foram apenas grandes companheiros de escola, mas amigos para vida toda. Fieis, cada um deles precisou superar algum obstáculo pessoal para ajudar um ao outro. Harry era como um filho para Senhora Weasley, acolhendo-o nos momentos em que ele mais precisava: na família Weasley ele encontrou amor, carinho e um lar verdadeiro, cheio de esperanças para dias melhores. Nas batalhas contra as trevas, Harry encontrou lealdade em forma de grandes laços de amizade: Gina, Sirius, Dumbledore, Tonks, Lupin, e muitas outras pessoas, algumas até desconhecidas, sempre dispostas a ajudar e acolher o próximo.
Nunca subestime a importância de um amigo na sua vida. Amizades verdadeiras permanecem, não importa a distância ou o tempo que vocês passem sem falar um com o outro. Você pode nem imaginar o apoio que vai encontrar ao lado daquela pessoa. Mantenha o contato próximo, principalmente no coração.
Às vezes, todos esses tópicos que falei aqui podem se resumir a boas conversas com seus amigos, afinal eles são a sua maior força para seguir em frente e se manter positivo.
...
Bom fim de semana galerinha.
Beijos :*

Nenhum comentário:

Postar um comentário