7.3.18

Projeto Amor Próprio - com @laylabrigido

Hey Guys, como estão?
Semana passada comecei o projeto "Amor Próprio" aqui no DF e hoje eu trouxe a minha segunda entrevistada 

Para acompanhar a primeira entrevista, CLIQUE AQUI

O projeto é uma forma de trazer um pouco mais sobre autoaceitação, gordofobia e emponderamento aqui para vocês e de um jeitinho todo especial, com histórias reais de pessoais reais. 

Nossa entrevistada de hoje é a Layla Brigido (no instagram @laylabrigido), MARAVILHOSA, super querida e eu confesso, sou apaixonada e me inspiro muito nas fotos dela lá no Instagram 


Significado de Empoderamento :v.f. é um verbo que se refere ao ato de dar ou conceder poder para si próprio ou para outrem. A partir do seu sentido figurado, empoderar representa a ação de atribuir domínio ou poder sobre determinada situação, condição ou característica.


1 - Como começou o seu processo de aceitação em relação ao seu corpo? 

Bom, é difícil pontuar um exato começo, mas lembro que estava cansada de me enxergar como um monstro. Comecei a me questionar das razões pelas quais não poderia usar determinada roupa ou fazer alguma coisa! Fui entender que meu corpo não estava me limitando, o problema estava na minha mente e na minha forma de pensar, a partir disso se iniciou esse processo de aceitação, processo longo, mas super necessário! 

2 - Na sua infância você sofreu algum tipo de bullying por causa do seu peso? Que marcas isso deixou em você? 

Não, mas eu era magra! Porém quando engordei ouvi muitas coisas difíceis que me marcaram muito e me aborreceram demais! São magoas que confesso hoje doem menos mas me fizeram sofrer muito! 

3 - Em relação a sua família, há/ou houve algum tipo de pressão para emagrecer? 

Não em relação aos meus pais, mas a outras pessoas sim, isso é muito complicado e triste, é uma pressão que mexe demais com a gente. Muita gente se sente no direito de cobrar, as pessoas acreditam que você tem que ser como elas querem e mal buscam saber se você está bem ou feliz! 

4 - Você já passou por alguma situação que considera constrangedora por causa do seu peso? 

Sim, já fui ofendida na rua, já ouvi comentários extremamente desnecessários, já fui parada por uma pessoa que disse “você é linda, só não coma mais, pra você não ficar mais gorda”, a gordofobia e o preconceito estão ai o tempo todo, comigo, isso tudo aconteceu mais em relação aos comentários.. mas tem muita coisa sabe? 

Já tive medo de entrar no ônibus e não conseguir passar na catraca, já tive medo de entrar no avião e não conseguir fechar o cinto, não aconteceu comigo, mas acontece com muita gente e é constrangedor demais! 

5 - Já pensou ou tentou medidas extremas para perda de peso? (dietas malucas, remédios, cirurgia, excesso de exercícios...) Isso foi prejudicial a sua saúde? O que te levou a isso? 

Não. Me maltratei demais com pensamentos e falas, mas não cheguei a medidas mais extremas! Mas sei que hoje tem sido cada vez mais comum, os transtornos tem aumentado cada vez mais, o sofrimento, as pessoas são levadas a isso já que o tempo todo são bombardeadas e humilhadas por serem gordas. 


6 - Quem mais te apoia neste processo de aceitação? 

Meus pais e meu namorado, com certeza! Foram eles desde o inicio e são eles até hoje! 

7 - O que positividade corporal significa para você e como você pratica isso no seu dia-a-dia? 

Para mim, significa criar uma relação positiva com nosso próprio corpo, o que acho essencial! 

Para praticar isso, busco ser acolhedora comigo, entender que existem coisas que não gosto, mas que isso não me resume, que tenho sim meus pontos positivos e que não pertencer a um padrão não me faz menos em nada! 
Me sinto livre e acho que é isso, entender que sou livre e não preciso me limitar por ser gorda, isso não é um problema, eu estou bem! 

Acho que isso é essencial, me sinto parceira em relação a mim, faz sentido? Sou minha amiga, estou a meu favor! 

8 - Quais os tipos mais frequentes de gordofobia que você encontra no seu cotidiano? 

Nossa, são muitos! Hoje as pessoas acham normal falar “gordice” quando se referem a comer algo mais calórico, o que é um comentário extremamente infeliz, há uma mania enorme de associar o gordo a comer o tempo todo, isso é uma forma de gordofobia. 

Muitas vendedoras de lojas de roupas são extremamente gordofóbicas quando chegam clientes gordas buscando alguma peça nas lojas. 

É tanta coisa, as vezes é difícil listar, a verdade é que a sociedade como um todo se vê no direito de desqualificar uma pessoa gorda acreditanto que “isso não é bonito e nem saudável” seja justificativa, mas não é. 

9 - O que as pessoas podem fazer para apoiar o movimento de aceitação corporal e mudas esses estereótipos e comportamentos enraizados? 

Abrir a mente, isso é necessário! Acho que ninguém nasce desconstruído, mas o que a gente faz daí pra frente depende da gente, a gente pode desconstruir, é preciso buscar evolução. 

Alem disso, é preciso ter empatia para compreender outras realidades além da sua e do que você imagina! 

Acredito que seja assim a melhor forma de se apoiar alguém! 
Com empatia e respeito, não custa nada e faz um bem danado! 

10 - Se você pudesse mudar uma coisa sobre como as pessoas gordas são vistas pela sociedade, o que seria? 

A associação do gordo a uma pessoa preguiçosa que vive comendo e não tem vergonha. 

As pessoas acham que se resume a isso e que os gordos não emagrecem “por falta de vergonha na cara” 

Te confesso que as vezes choro quando escrevo sobre isso, porque penso que hoje eu estou mais segura e firme em relação a essas coisas, mas e quem não está? Sofre, sofre muito pelas coisas que escuta! Isso é cruel! Gordofobia mata..eu queria demais mudar isso!! 


11 - Há um debate na comunidade de positividade corporal sobre usar a palavra "gordo" para se descrever. Como você usa essa palavra? 

Uso para me descrever! É uma das minhas características! Só! 

Mas isso sou eu, depois de desconstruir ideias e ter passado por muita coisa, porque na verdade a gente aprende que gordo é ofensa e magro é elogio! 

A gente ganha parabéns quando emagrece e bronca quando engorda, triste né? 

12 - Qual conselho você daria para quem está começando este processo de aceitação? 

Não tenha pressa, aceitação é um processo de todos os dias, é acordar e sempre entender que você pode ser gentil com você e que você merece ser livre! 

Então não se desespere, porque é aos poucos, um dia você se olha e se acha bonita, no outro não, mas entende que tá tudo bem, tem dias assim mesmo, depois você se permite usar algo que tinha se privado e ai vai ter orgulho dessa conquista, um passo de cada vez, muitos progressos, mesmo que devagar só não desista, você merece ser feliz!


Lembrando que projeto amor próprio tem como intuito mostrar para os leitores, não leitores e aqueles que caem de paraquedas aqui no Dreamy Fearless que não importa se você é GORDO, MAGRO, NEGRO, BRANCO, ASIÁTICO ou ETC, o que importa é o que você é por dentro, quem você é. 

SOMOS TODOS IGUAIS e a sociedade precisa aprender a 
conviver com isso! 
Vamos começar pela gente e levar essa lição adiante? Conto com vocês.

Eu agradeço de coração a Layla Brigido por topar entrar neste projeto comigo, precisamos nos unir sim, pois só assim iremos mostrar para a sociedade que eles não podem mais nos derrubar.
Quem quiser acompanhar a Layla no Instagram é so Seguir AQUI 

Nós acompanhe também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário