14.9.18

Mudanças

Oi, oi, oi, como vai você? 
Eu estou bem, espero que você esteja melhor que eu! 

Faz um tempo que não posto (primeiro porque me distrai e esqueci, depois porque tive uns dias corridos e esqueci, confesso, mas agradeço a compreensão, principalmente das minhas colegas de blog lindas!) 


Hoje quero falar de mudanças, para isso vou parafrasear Fernando Pessoa ou o general romano Pompeu (70 a.C.), que disseram “Navegar é preciso, viver não é preciso”, dizendo que “mudar é preciso, pois é assim que se vive”. 

O que eu quero dizer com isso? A gente muda, amadurece, aprende com o tempo. Mas mudanças sempre assustam. 

Você gosta de algo na escola, ai vai para faculdade fazer aquilo, de repente (ou não tão de repente) você não se vê mais amando aquilo.


Você consegue um emprego, você até que gosta dele e é bom naquilo, mas não está feliz de fato, mas é o que você sabe fazer. 

Você sempre assistiu um tipo de filme ou série, sempre ouviu um estilo de música, ou leu um tipo de livros, então, conhece outras coisas e gosta daquilo também. 

Você se veste de um jeito, então vai na loja e por insistência da vendedora, ou um acaso qualquer, experimenta algo diferente e que lhe cai bem, você gosta. 

Você mudou! 

Você gostava disso, não gosta mais, não está mais satisfeito, aquilo não é mais bom o suficiente, você mudou. 

Mudar é saudável, mudar é preciso, mudar faz parte, mudar assusta, e as vezes, assusta muito.


Você faz cursos, uma faculdade, um curso profissionalizante, uma pós, ou mesmo cursos online, aprende algo, pratica, fica bom naquilo, então um dia, aquilo não te faz mais feliz. 

Dá medo de largar tudo, de deixar todo seu esforço e investimento, de tempo, dinheiro, empenho de lado e começar de novo, dá medo do desconhecido. 

Trocar de curso na faculdade, trocar de emprego, de cidade, de namorado, de estilo de roupa, de banda favorita, de amigos, de coisas que você gosta, dá medo deixar de lado o que você conhece e se arriscar no desconhecido, eu sei. 

Mas para pra pensar, eu parei e me deu muito mais medo, não mudar, não arriscar e ficar estagnado no mesmo lugar, no mesmo modo, do mesmo jeito, principalmente, se o lugar onde você está não é mais um lugar feliz. 

A vida é única, e as vezes curta de mais, você tem que encontrar um equilíbrio entre fazer a criança que você foi feliz e orgulhosa, do adulto que você é, e fazer com que o idoso, que talvez um dia você será, sinta-se feliz e orgulhoso do adulto que você foi. 

Para isso são necessários sacrifícios, alguns sonhos bobos e infantis, como mudar e salvar o mundo do dia pra noite, ou casar com um príncipe/princesa encantado/a, devem ser postos de lado, mas ao mesmo tempo, você precisa arriscar e não ficar preso em um emprego estável e mais ou menos, por medo de tentar aquele curso ou aquela vaga diferente, que você adoraria. 

Sim, eu sei, temos contas a pagar, aluguel, comida, transporte, etc., mas se você nunca arriscar, você sempre vai estar no mesmo lugar e nunca vai fazer o que você deseja, não vai saber o que teria acontecido se tivesse tentado e quando a gente chega em um momento da vida, alguns “e se...” se tornam fardos pesados de mais pra carregar, a gente se arrepende bem mais do que não fez, do se tivesse tentado. 

Eu sei,viver da medo, mas vai com medo mesmo, arrisca, seu “eu criança” possivelmente teria arriscado, e seu “eu idoso” possivelmente vai te agradecer. 

A gente leva da vida e a gente deixa na vida as histórias que a gente viveu, os momentos, os risos, as lágrimas, as paixões, todo o resto se apaga com o tempo. 

Você merece ter uma vida memorável, você merece muito mais do que apenas existir e ser só mais um em meio aos bilhões de pessoas que existem, talvez você não fique famoso ou se torne alguém mundialmente conhecido e memorável, mas pelo menos seja alguém que as pessoas que te conhecem, conheceram e conhecerão se lembrarão e contarão historias e sentirão saudades.


A vida dá medo, mudar é assustador, eu sei, eu mudei de profissão algumas vezes (estudante de jornalismo, designer gráfica, projetista, professora, atendente, aspirante a escritora), eu sai de perto da família e mudei de estado, para perto do meu namorado, e deu muito, mas muito medo, e as vezes, pra ser bem sincera, ainda dá medo, mas mudar é preciso! 

E se não der certo, juro, que dá pra começar de novo, só não perder o foco e a fé em você mesmo, você é capaz, você é incrível. 

Beijos de luz, até a próxima!!! 

Nós acompanhe também:



.

Nenhum comentário:

Postar um comentário