25.9.18

Projeto Amor Próprio - com @gabialbert_

Hey Guys, como estão? 
Já souberam da novidade? tem SORTEIO rolando lá na fan page com a minha parceira maravilhosa Mimos da Lia, vai lá conferir e participar 

Vamos ao que interessa? VAMOS! 
Hoje é dia de Projeto Amor Próprio e sempre que eu venho fazer um post deste projeto eu fico emocionada sabia? 
É incrível conhecer a historia de tantas pessoas diferentes e com tantos problemas iguais, fico agradecida mesmo de coração a todos que já participaram do projeto até aqui, eu amo isso, eu quero fazer isso pra sempre  HAHA 
Obrigado gente, vocês são todos maravilhosos demais, obrigado por me darem a chance de conhecer um pouquinho de cada um de vocês! 

Vamos lembrar que o projeto é uma forma de trazer um pouco mais sobre autoaceitação, gordofobia e emponderamento aqui para vocês e de um jeitinho todo especial, com histórias reais de pessoais reais. 

Nossa entrevistada de hoje é maravilhosa, me tocou lá no coração com a sua entrevista, e sem falar no feed né? ARRASA. Ela é a Gabriela Albert (no instagram @gabialbert_) 

Significado de amor próprio :s.m. sentimento de dignidade, estima ou respeito que cada qual tem por si mesmo.


1 - Como começou o seu processo de aceitação em relação ao seu corpo? 

 Sempre me aceitei mas acho que uns momentos mais outros menos, mesmo assim de uns dois anos pra cá que me aceito muito mais a cada forma, marcas que fazem dele meu lar. 

2 - Na sua infância você sofreu algum tipo de bullying por causa do seu peso? Que marcas isso deixou em você? 

Infelizmente sofri sim, mas são coisas que nem me lembro muito sabe não foi uma coisa que marcou na minha vida mas tenho breve lembranças como crianças julgando com piadas ou xingamentos em brincadeiras na escola. 
Marcas de força, acho que como tudo que já vivi em relação ao peso e preconceitos me marcam mais forte a cada dia. 

3 - Em relação a sua família, há/ou houve algum tipo de pressão para emagrecer? 

Infelizmente existe até hoje!!

4 - Você já passou por alguma situação que considera constrangedora por causa do seu peso? 

 Nossa desde comprar roupas em lojas que não tem o seu tamanho
Ou até mesmo em transporte público como catraca ou assentos 
Em avião assentos minúsculos causam dores e desconfortos, infelizmente esses fatores que para muitos podem ser nada demais, acontece ainda com pessoas. 

5 - Já pensou ou tentou medidas extremas para perda de peso? (dietas malucas, remédios, cirurgia, excesso de exercícios...) Isso foi prejudicial a sua saúde? O que te levou a isso? 

Já sim, com remédios que me levaram a um quadro depressivo desencadeado.
Dietas mas nem eram malucas, mas sem ser por conta própria sabe, e cirurgia já me recomendaram fui no médico e ele falou que eu não precisava e também pelo fato de que não é uma vontade minha, o que me levou a todos esses casos sociedade talvez pressão da família por ser algo que não seja eu, pois minha saúde está ótima e isso que importa. 


6 - Quem mais te apoia neste processo de aceitação? 

Eu mesma e me apoio e também na internet e com amigas do meio, louco né pensar que não precise de muito para ser forte consigo mesma. 

7 - O que positividade corporal significa para você e como você pratica isso no seu dia-a-dia? 

Significa ser mais uma pessoa lutando por algo que não deveria ter tantos preconceitos, porque somos pessoas como outras quaisquer sabe, é como sem explicação porque o mundo as coisas quem criou toda essa rivalidade com corpos, culturas e preconceitos com “padrões”
Mas estamos aqui mostrando que acima de tudo somos o que somos o que mais importa é o que vem de dentro e o amor por si próprio sempre, eu prático cuidados na mente e comigo mesmo, também mostrando para as pessoas que ser Gorda , Plus entre outros é super normal meu corpo positivo e amor que se cria. 

8 - Quais os tipos mais frequentes de gordofobia que você encontra no seu cotidiano? 

Pessoas, ao cruzar com outras pessoas 
Infelizmente no olhar delas no jeito que elas te tratam você sente sabe, e também em momentos que você vê, nossa o mundo foi feito para pessoas magras com lugares que não da para passar ou se movimentar.

9 - O que as pessoas podem fazer para apoiar o movimento de aceitação corporal e mudas esses estereótipos e comportamentos enraizados? 

 Ler é primeiro passo, acho que seja blogs ou Instas com pessoas reais se conscientizar que é normal ser assim e o importante sempre é viver, curtir fazer o que gostamos.

10 - Se você pudesse mudar uma coisa sobre como as pessoas gordas são vistas pela sociedade, o que seria? 

Mudaria que esse pensamento que gordo é preguiçoso, ou todos esses preconceitos que vem infelizmente na cabeça de muitos e também que gordo não faz exercícios ou só se alimenta de “porcaria” muitos pensamentos para ser desconstruídos ainda.


11 - Há um debate na comunidade de positividade corporal sobre usar a palavra "gordo" para se descrever. Como você usa essa palavra? 

 Existe quem goste ou quem não, mas acho que a palavra Gordo/Gorda vem muito mais do tom que as pessoas usam quando vem falar, pode ser num tom pejorativo ou num tom de boas mesmo sem querer também ofender sabe.

12 - Qual conselho você daria para quem está começando este processo de aceitação? 

Que sempre vai parecer alguém para te criticar para te colocar para baixo para te julgar e nunca mais nunca deixe de fazer e ser o que você realmente sente, o que é e o que quer fazer sabe, a vida é essa e seja feliz procure pessoas nas quais te façam bem mesmo sendo poucas, leia siga pessoas que te inspirem e se veja-se a cada dia, se ame a cada momento, seja forte e se cuide sempre. 



Como eu disse lá em cima, eu agradeço imensamente a TODOS que participaram já ate aqui, vocês são incríveis. 
Eu pretendo continuar firme com esse projeto porque ouvir todas essas historias reais me inspira em querer inspirar vocês a fazer festa mundo um mundo melhor.  

Lembrando que projeto amor próprio tem como intuito mostrar para os leitores, não leitores e aqueles que caem de paraquedas aqui no Dreamy Fearless que não importa se você é GORDO, MAGRO, NEGRO, BRANCO, ASIÁTICO ou ETC, o que importa é o que você é por dentro, quem você é. 

SOMOS TODOS IGUAIS e a sociedade precisa aprender a 
conviver com isso! 
Vamos começar pela gente e levar essa lição adiante? Conto com vocês.

Eu agradeço de coração ao Gabriela por topar entrar neste projeto comigo, precisamos nos unir sim, pois só assim iremos mostrar para a sociedade que eles não podem mais nos derrubar.

Quem quiser acompanhar a Gabi no Instagram é so Seguir AQUI

Nós acompanhe também:




Um comentário:

  1. História de superação e inspiração... Muito obrigada por compartilhar suas situações conosco. Importante lembrar que todos nós conseguimos superar as dificuldades e podemos ser quem quisermos.

    ResponderExcluir