23.2.19

The Umbrella Academy

Oi, oi, oi, como vai você?
Eu estou bem, com calor, cansada, pobre e tal, mas tô bem! Espero que você também esteja.
No dia 15/02 a Netflix liberou a série The Umbrella Academy, baseada nos quadrinhos de Gerad Way (sim, o vocalista do My Chemical Romance) criador e escritor, e desenhada por Gabriel Bá (um quadrinhista brasileiro premiado). 
Ao ler a sinopse você pensa em uma versão nova de X-Men ou Jovens Titãs, algo assim, por se tratar de uma espécie de escola que reúne pessoas com poderes especiais. Mas a série surpreende e não lembra a "concorrência".


O elenco da série é maravilindo:
Tom Hopper (Luther Hargreeves / Spaceboy / Number One)
David Castañeda (Diego Hargreeves / The Kraken / Number Two)
Emmy Raver-Lampman (Allison Hargreeves / The Rumor / Number Three)
Robert Sheehan (Klaus Hargreeves / The Séance / Number Four)
Aidan Gallagher (The Boy / Number Five)
Justin H. Min (Ben Hargreeves / The Horror / Number Six)
Ellen Page (Vanya Hargreeves / The White Violin / Number Seven)
Colm Feore (Sir Reginald Hargreeves / The Monocle, o pai adotivo da Academia Umbrella e um alienígena disfarçado de industrialista bilionário humano)
Jordan Claire Robbins (Grace Hargreeves / Mãe / Robô construído por Refinald)
Adam Godley (Pogo, um chimpanzé e o assistente mais próximo de Reginald)
Mary J. Blige (Cha-Cha, uma assassina impiedosa)
Cameron Britton (Hazel, parceiro calmo de Cha-Cha)
John Magaro (Leonard Peabody / interesse amoroso de Vanya)
Ashley Madekwe (Detetive Patch / Policial investigadora e interesse amoroso de Diego)
Sheila McCarthy (Agnes, Proprietária / Padeira / Garçonete do Griddy's Donuts e interesse amoroso de Hazel)
Kate Walsh (The Handler)


A séries tem personagens fortes e definidos, cada personagem é único, com personalidade, dramas, problemas e sentimentos próprios, nenhum tá ali para completar outro ou como cópia de outro, cada um tem sua história e ela é explorada super bem, na medida do possível, para dar sentido a série e não ficar massante ou focar em apenas um só. 
A fotografia da série, figurino, locações, iluminação e tudo mais é bem explorado, bonito e feito com capricho, mas a trilha sonora, essa extrapola o bom e vai para o ótimo, beirando o maravilhoso o perfeito, a transição de cenas utilizando a trilha é algo incrível (bônus tem uma cena da Cha Cha - Mary j. Blige - explodindo algo ao som de Mary J. Blige, é épico, foda e lindo de se ver e ouvir kkkk). A série explora bastante elementos, dramas, poderes, mas também problemas e coisas do cotidiano e familiares, como poderiam acontecer com qualquer um.


Como eu disse, saiu dia 15 eu maratonei ela final de semana passado, mas só terminei depois do meu post de sábado, por isso o post de hoje com ela, meio ''atrasado".

Prepare a pipoca, o sofá ou a cama e corre lá pra ver. Dá pra rir, se emocionar, amar, odiar e etc, e normalmente isso vai mudar de personagem a cada episódio, uma hora é amor por um, ódio pelo outro, depois inverte, depois muda de novo, menos o pai, ele é sempre cuzão e o Klaus, ele é sempre legal! kkkk

Depois volta aqui e me contem como foi, o que acharam e tal.
Espero que tenham uma semana iluminada e incrível.
Beijos de luz e até o próximo post.


Nós acompanhe também:
.



Nenhum comentário:

Postar um comentário