20.3.19

Projeto Amor Próprio com @karolcmps

Hey Guys, como estão? 
Que saudades que eu tava de trazer este projeto aqui no blog, este projeto é o meu amor

Para quem é novo por aqui e não sabe o projeto é uma forma de trazer um pouco mais sobre autoaceitação, gordofobia e emponderamento aqui para vocês e de um jeitinho todo especial, com histórias reais de pessoais reais. 

E ninguém melhor do que uma mulher maravilhosa e poderosa pra abrir o projeto em 2019 com o pé direito, não é mesmo? 
A Karol Campos (no instagram @karolcmps) é Youtuber e quase Publicitaria, arrasa nas redes sociais e faz umas makes lindonas 

Significado de amor próprio :s.m. sentimento de dignidade, estima ou respeito que cada qual tem por si mesmo.


Retrospectiva projeto amor próprio 2018, clique aqui

1 - Como começou o seu processo de aceitação em relação ao seu corpo? 

Então, sempre fui gorda, desde neném, mas de tanto preconceito, aos 15 anos resolvi tomar remédio pra emagrecer, só que vemos bem que não adiantou de nada né?! risos
Então, assim que comecei a faculdade, lá em 2015, na verdade um pouco antes, 2013/2014, por aí, eu comecei a não me importar mais com o que falavam quando me viam, com o que iriam pensar de mim. Porque eu tava bem comigo. Foi quando em 2016 fiz um textão ENORRRRRRRME (essa é das minhas) dizendo que eu tava bem comigo e que enfim tinha aceitado meu corpo do jeito que ele é, cada pedacinho, estria, celulite, tudo. Amo tudo em mim.. E depois disso, criei o projeto #SeAme+ que infelizmente não foi pra frente por falta de meninas gordas que pudessem fazer parte desse projeto comigo e enfim tocá-lo pra frente.. Esse projeto consistia em tratarmos temas como Gordofobia e, de alguma forma com vídeos mais sérios, tentar fazer as pessoas pensarem e começarem a se amar.

2 - Na sua infância você sofreu algum tipo de bullying por causa do seu peso? Que marcas isso deixou em você? 

Sempre sofri preconceito, porque como disse acima, sempre fui gorda, eu nasci GG (grande e gorda) risos.. na época da escola era apelidinhos, olhares tortos, até areia nos meus olhos na época da escola jogaram.. eu chegava mordida em casa, roxa, às vezes com o olho vermelho porque jogaram areia.... Por uns anos levei isso como uma verdade, que meu corpo não era bonito, que eu devia emagrecer porque eu sendo gorda estava meio que fazendo mal, sabe?! Mas quando fui crescendo e vendo tudo com outros olhos, minha opinião mudou.. Como disse ali, cada pedacinho meu é lindo!  

3 - Em relação a sua família, há/ou houve algum tipo de pressão para emagrecer? 

Até hoje me perguntam se não quero emagrecer, às vezes falam que eu "tenho que" emagrecer porque tô ficando desproporcional, porque minha coxa tá gigante.... Entra tudo por um ouvido e sai por outro, porque se eu me gosto assim, tá bom né?! 

4 - Você já passou por alguma situação que considera constrangedora por causa do seu peso? 

Lembro, uma que me marcou demais.. No segundo ano do ensino médio eu tinha discutido com umas meninas por coisa que hoje eu nem lembro, mas lembro que no dia seguinte começou a implicância, até que um belo dia eu ouvi as mesmas falarem que iriam em jogar da escada da escola e que seria engraçado isso, acho que se eu não tivesse enchido o celular da minha mãe de SMS e ela não tivesse aparecido na escola e falado com a diretora, eu teria sido jogada da escada. 

5 - Já pensou ou tentou medidas extremas para perda de peso? (dietas malucas, remédios, cirurgia, excesso de exercícios...) Isso foi prejudicial a sua saúde? O que te levou a isso? 

Já menina! Eu tomei remédio pra emagrecer pra minha festa de 15 anos, já tentei academia... Prejudicial eu acho que não foi não, só que eu sentia que eu magra não seria eu, sabe?!


6 - Quem mais te apoia neste processo de aceitação? 

Minha mãe   

7 - O que positividade corporal significa para você e como você pratica isso no seu dia-a-dia? 

Positividade corporal pra mim é você olhar o que a sociedade julga como errado, como corpo "feio" e fora do padrão e mesmo assim se amar, joga a pancinha pra rolo MEIXXXXXXXXMO, todo corpo é lindo. Cara eu tenho praticado isso me amando cada vez mais e incentivando pessoas ligadas à mim a se gostarem do jeito que são. Não devem mudar pelos outros, mas sim por elas. 
Não vale perder sua "identidade" porque fulano e ciclano acham isso ou aquilo. 

8 - Quais os tipos mais frequentes de gordofobia que você encontra no seu cotidiano? 

Na minha faculdade tem algumas meninas gordas, e quando aparecem com um Cropped, com uma saia, algo mais confortável, olham torto, comentam e já vi darem risada... Há um ano se não me engano, fiz um vídeo pro meu canal contando da gordofobia que sofri no táxi, uns me apoiaram e outros comentários foram de "ai eu faria igual ao taxista" "gordo tem que sofrer mesmo" "tá muito gorda mesmo"... 

9 - O que as pessoas podem fazer para apoiar o movimento de aceitação corporal e mudas esses estereótipos e comportamentos enraizados? 

Começar a CAGAR pra comentários do tipo "seu rosto é lindo, deveria emagrecer", sabe? Isso não faz bem, tem que entrar por um ouvido e sair por outro.

10 - Se você pudesse mudar uma coisa sobre como as pessoas gordas são vistas pela sociedade, o que seria? 

Comentários, olhares, risinhos... É desconfortável DEMAIS!


11 - Há um debate na comunidade de positividade corporal sobre usar a palavra "gordo" para se descrever. Como você usa essa palavra? 

Tem gente que usa "gordo" e "gordice" como termo pejorativo, tem mulheres MAGRAS usando "ai to gorda", cara... se essas pessoas pudessem sentir o que um gordo passa ou já passou na vida, NUNCA mais usariam essas palavras como piadinha. 
Gordo é um tipo físico, não é legal usar, assim como não é legal usar "ai que magra" como um """elogio""", porque não é. Às vezes a pessoa é gorda/magra por genética, por gostar e acho que isso não deveria ser usado como piada ou um elogio dentro de muuuuuuuuitas aspas. Eu uso a palavra gorda pra me definir, porque eu SOU GORDA. E não há problema nenhum nisso, tá tudo bem em ser gorda.  

12 - Qual conselho você daria para quem está começando este processo de aceitação? 

Não desiste! É complicado mesmo, você vai querer voltar atrás na decisão, vai querer jogar tudo pro alto. Mas quando você se aceita e começa a se amar do jeitinho que é, você descobre um mundo maravilhoooooooooooooso!  



Geeeente a Karol é maravilhosa né? Dá vontade de guardar ela num potinho de tão fofa e é minha irmã gêmea do RJ, risos me identifiquei demais com ela 
Obrigado meu bem por nós dar a chance de te conhecer um pouquinho melhor com palavras tão bonitas e inspiradoras. Você é incrível!

O projeto amor próprio tem como intuito mostrar para os leitores, não leitores e aqueles que caem de paraquedas aqui no Dreamy Fearless que não importa se você é GORDO, MAGRO, NEGRO, BRANCO, ASIÁTICO ou ETC, o que importa é o que você é por dentro, quem você é. 

SOMOS TODOS IGUAIS e a sociedade precisa aprender a 
conviver com isso! 
Vamos começar pela gente e levar essa lição adiante? Conto com vocês.

E pra quem quiser acompanhar a Karol lá no Instagram é so Seguir AQUI 
e aproveitem pra conferir e se inscrever no canal dela lá no Youtube clicando AQUI 


Nós acompanhe também:



Nenhum comentário:

Postar um comentário