5.6.19

Filme Máquinas Mortais

Hey Guys, como estão?
Não me segurei e vim falar de um filme completamente fora da minha zona de conforto. 
Já ouviram falar de Máquinas Mortais que lançou este ano? Pois bem, eu vi e gostei muito. 
Let's Go!

CONTÉM SPOILERS


Sinopse: A Terra está destruída e para sobreviver as cidades se movem em rodas gigantes, conhecidas como Cidades Tração, e lutam com outras para conseguir mais recursos naturais. Quando Londres se envolve em um ataque, Tom é lançado para fora da cidade junto com uma fora da lei, e os dois juntos precisam lutar para sobreviver e ainda enfrentar uma ameaça que coloca a vida no planeta em risco.

O planeta Terra foi devastado por um conflito sem precedentes que resultou na criação de cidades-móveis, sendo que algumas são mais evoluídas do que outras. Estas destroem as menores, no chamado darwinismo municipal. 
Entre as mais evoluídas está Londres, uma mega cidade-móvel, governada por Magnus Crome (Patrick Malahide). Entre seus moradores está o chefe da Guilda de Historiadores, Thaddeus Valentine (Hugo Weaving) e sua filha Katherine (Leila George)

Uma pequena cidade mineradora é capturada por Londres e bem ai que o filme começa a ficar interessante. 
Primeiro pelo modo como tudo acontece, é surreal e depois porque dentro dela está a jovem Hester Shaw (Hera Hilmar), cujo desejo de vingança faz com que cometa um atentado contra Valentine. Tudo poderia ter dado certo se Tom Natsworthy (Robert Sheehan), um aprendiz a historiador não tivesse interferido, impedindo que Hester concluísse com o que desejava. 

Enquando foge, Hester revela algo para Natsworthy, algo obscuro do passado de Valentine que a levou a tentar mata-lo. 


As coisas somente pioram quando Valentine decide recriar uma arma mortal e somente Hester possui a chave para detê-lo, logo ela que está bem distante e tentando ao máximo fugir de todos os outros perigos que aparecem ao decorrer do filme por ser filha de quem é...

“Máquinas Mortais” é um daqueles filmes com começo, meio e fim. Ou seja, não teremos continuações que se estenderão anos a fio, fazendo com que tentamos descobrir o que acontecerá no próximo filme, eu gosto bastante e acho um ponto bem positivo pra um filme deste gênero.


Peter Jackson comprou os direitos para adaptar o livro escrito por Philip Reeve em 2009 e deixou o roteiro de molho até 2016, quando começou a adaptação, contando com a ajuda de duas antigas companheiras, Fran Walsh – sua esposa – e Philippa Boyens, que desenvolveram com ele a saga de O Senhor dos Anéis e O Hobbit, algo que desde então já nos leva a ter fé de que o filme seria incrível em estória e criação.


O filme tem uma história bem interessante, claro que há buracos no filme que são contados em flashbacks, mais nada tão agravante.

É um filme pós-apocalíptico de uma Terra totalmente distópica e, percebemos totalmente as diferenças entre protagonismo e antagonismo.

Protagonismo: Protagonismo é o processo de protagonizar, de ser o protagonista, o figurante principal de uma apresentação. ... Protagonismo é um termo muito usado no teatro, no cinema, na novela etc. para se referir ao personagem principal da encenação.

Antagonismo: Antagônico é um adjetivo masculino que significa contrário, adverso, incompatível, contraditório, divergente, rival. Exemplo de antagonismos: guerra e paz, amor e ódio.
Antagônico é uma expressão que se refere a tudo aquilo que apresenta antagonismo, ou seja, tudo que se apresenta de forma contrária, que faz oposição entre duas noções, dois conceitos, duas ideias.


Valentine é o claro antagonista. Ambicioso, determinado, vil, capaz de qualquer coisa para conseguir alcançar seus objetivos, até mesmo matar. 
Já os protagonistas, Hester e Tom, são pessoas que não se entendem inicialmente, mas ambos têm a traição como plano de fundo, uma mais antiga e a outra mais recente. Eles tentam se completar no transcorrer do filme, mas a química não parece ocorrer, o que de certa forma foi bom, pois não vemos nada desnecessário e fora do momento no filme.


É bem complicado dizer o quão próximo do livro foi já que eu não o li, mais com certeza o livro é mais completo e sem lacunas abertas. 

Indico Máquinas Mortais, é um filme que pode não agradar a todos mas com certeza vai prender a todos. 
Ele cumpre muito bem com a missão de ser um bom filme de ficção cientifica pós-apocalíptico.

✩✩✩✩

Você já assistiu? O que achou sobre o filme?

Nós acompanhe também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário