6.6.19

Inteiro

Oi, oi, oi, como vai você?
Estou bem e espero que você também esteja.
Essa semana estamos com tudo aqui no blog, pra manter um post por dia hoje é minha vez!
Já ouviu o termo positividade tóxica? Ela é algo real e preocupante, você não é Deus ou Buda pra ser todo-poderoso-perdoador-positivista nem nada assim. 
Respeite seus limites, respeite a si mesmo e se ponha em primeiro lugar, sempre, você deve ser seu primeiro e último amor, sempre!

(fotógrafo: Geovani Debastiani)


Esqueça o que te falaram da vida e do amor
Você não é uma metade da laranja
Nem a chance dos seus pais
De realizar o que eles não puderam sozinhos

Esqueça tudo que te falaram sobre humildade
Sobre gratidão ou perdão
Você pode se orgulhar das suas conquistas, sem ser esnobe
Você não precisa ser grato por tudo ou perdoar o imperdoável

Elimine toda a positividade tóxica do mundo
Você não precisa perdoar, aprender e respeitar
Nem a tudo, nem a todos
Principalmente se te faz mal

Elimine todos os conceitos
De certo e errado que não te cabem
Dividir é bom, mas quando você quer
Ajudar é legal, quando não te fere

Esqueça tudo que dizem sobre educação
Reciprocidade é a palavra da vez
Mas se você quiser, pode só ignorar
Deixar pra lá faz bem pra alma

Não se diminua pro outro parecer maior
Não se restrinja pro outro conquistar
Não se acostume com o lado vago
Não se acomode com pouco

Você merece o céu, não aceite o meio termo
As migalhas deixadas pelo caminho
Não vão saciar sua fome
Você não deve viver de restos

Principalmente, egoísmo nem sempre é ruim
Então não deve priorizar sempre os outros
Não importa que ele faria por você
Você não é obrigado a fazer por ele

Você não é um deus da bondade
Você é tudo que você tem
Seu primeiro e último amor
Seja seu próprio porto seguro

Quando você se cura
Quando você se aceita inteiro
Tudo que vem acrescenta
Todos que vem melhoram

Não te falta um pedaço ou uma parte
Você é amor e é suficiente
Assim, o outro só te melhora
E não te falta quando vai embora


Nós acompanhe também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário