23.6.20

Projeto Amor Próprio com @maandafonseca

Hey Guys, como estão?
Que saudade que eu tava de trazer o projeto aqui para vocês...!
Andei bem quietinha sem falar com gente que me inspira até esbarrar com a beleza desta mulher, se liga.

Pra quem caiu de paraquedas aqui e não ta entendendo nada, vem cá que eu te explico.
Vamos a nossa breve explicação sobre o projeto: Se você é novo aqui e não sabe do que eu to falando, pois bem, vou te explicar um pouquinho sobre o Projeto Amor Próprio, é uma forma de trazer um pouco mais sobre autoaceitação, gordofobia e emponderamento aqui para vocês e de um jeitinho todo especial, com histórias reais de pessoais reais.

Nossa convidada de hoje é uma mulher muito linda, além de a simpatia em pessoa, Amanda Fonseca (no instagram @maandafonseca), empoderada e maravilhosa. 

Significado de amor próprio :s.m. sentimento de dignidade, estima ou respeito que cada qual tem por si mesmo.


1 - Como começou o seu processo de aceitação em relação ao seu corpo? 
No final de 2019, esperei 25 anos da minha vida para aprender a aceitar o meu corpo da forma que ele é e compreender que ele é a minha casa onde habito há tanto tempo.
Os meus ensaios fotográficos me ajudam muito me dão aquele “Up“ na autoestima e isso é extremamente importante para o processo de aceitação.

2 - Na sua infância você sofreu algum tipo de bullying por causa do seu peso? Que marcas isso deixou em você?  
Sim, principalmente na época da escola quando tínhamos a aula de educação física porque o professor levava a balança para fazer o IMC dos alunos e ai começa as humilhações e apelidos maldosos, teve uma vez que um aluno  gritou alto dizendo que seu eu me pesasse quebraria a balança porque eu era mais pesada que uma baleia. Até meu sobrenome também já foi alvo de piadinhas sem graça por conta de ser Fonseca “seca” de seca a Amanda não tem nada.

3 - Em relação a sua família, há/ou houve algum tipo de pressão para emagrecer? 
Sim, sou nutricionista não sou somente cobrada pela família mais sim sou cobrada em geral pela sociedade que acha que por ser nutricionista tenho que vestir 36 .

4 - Você já passou por alguma situação que considera constrangedora por causa do seu peso? 
Ocorreram várias vezes a mais recente foi com uma paciente por não ter emagrecido além de ter me ofendido ela queimou as pontas do meu cabelo de todos os episódios que já passei como ser  humano esse foi um dos piores . 

5 - Já pensou ou tentou medidas extremas para perda de peso? (dietas malucas, remédios, cirurgia, excesso de exercícios...) Isso foi prejudicial a sua saúde? O que te levou a isso? 
Acredito que eu já tenha feito um pouco de tudo para emagrecer dieta da sopa, shake emagrecer, chás, água com limão. Última vez que fiz uma dieta totalmente restritiva além de ter quase desmaiado estava ficando pré – diabética então resolvi parar com essas loucuras. Sempre ouvi que seria mais bonita se fosse magra pelos garotos que namorei mais não acho ruim não pois se eles realmente fossem tão bons para mim não tinha se tornado Ex. 

[Foto: @photostreet_]

6 - Quem mais te apoia neste processo de aceitação? 
Algumas pessoas da minha família me apoiam mais quem realmente está firme e forte no processo comigo é meu namorado que é meu maior incentivador está comigo em tudo!

7 - O que positividade corporal significa para você e como você prática isso no seu dia-a-dia? 
É saber aceitar de forma clara e realista como o meu corpo realmente é podemos ter: Celulite, estrias, marcas de expressão, flacidez que continuaremos sendo nós mesmas lindas e gostosas da maneira que somos e  não precisamos ser uma kardashian para nos sentirmos assim.
Me olho no espelho e me admiro e não fico horas no espelho procurando defeito.

8 - Quais os tipos mais frequentes de gordofobia que você encontra no seu cotidiano? 
São vários  através de memes na internet, fotos de antes e depois, lojas que vendem roupas 44 que realmente não entram em mulheres que vestem 44, cadeiras não acessíveis para gordos entre outros...

9 - O que as pessoas podem fazer para apoiar o movimento de aceitação corporal e mudas esses estereótipos e comportamentos enraizados? 
As pessoas precisam aprender a respeitar as decisões dos outros sem dar pitaco, ser gorda(o) realmente não é um palavrão e  as pessoas precisam aprender isso! Quando as pessoas realmente  pararem de julgar a aparência o mundo será extremamente perfeito teremos menos jovens morrendo de depressão.

10 - Se você pudesse mudar uma coisa sobre como as pessoas gordas são vistas pela sociedade, o que seria? 
O modo como julgam o gordo como pessoas doentes e relaxadas, quando mostramos esse empoderamento e aceitação as pessoas acham que estamos romantizando a obesidade e não é isso, queremos respeitos assim todos .

[Foto: @guisimao_fotografia]

11 - Há um debate na comunidade de positividade corporal sobre usar a palavra "gordo" para se descrever. Como você usa essa palavra? 
Sim,  uso para me descrever e não vejo uma ofensa afinal ser gorda não é palavrão, assim como ser magro não é qualidade.

12 - Qual conselho você daria para quem está começando este processo de aceitação?
Não fique o tempo todo se comparando
Não se cobre tanto
Compreenda os seus limites 
Aceite suas imperfeições afinal ninguém é perfeito
Goste da sua própria companhia 
Aprenda a dizer não e não aceite qualquer coisa!


Que entrevista maravilhosa e que mulher maravilhosa não é mesmo?
Acho que a entrevista de hoje tem uma dica super valiosa escondida entre as linhas, sobre ser quem você deseja ser...
As vezes nos privamos de nós dedicar a uma profissão por achar que nosso corpo não cabe nela, a Amanda nos mostrou que não tem disso, deixa pra lá esse pensamento... Você pode ser nutri, advogada, médica, o que quiser, você pode ser tudo!

Agradeço demais a Amanda por participar do nosso projeto, desejamos uma carreira e vida incrível pra ela.

E lembre-se: O projeto amor próprio tem como intuito mostrar para os leitores, não leitores e aqueles que caem de paraquedas aqui no Dreamy Fearless que não importa se você é GORDO, MAGRO, NEGRO, BRANCO, ASIÁTICO ou ETC, o que importa é o que você é por dentro, quem você é. 

SOMOS TODOS IGUAIS e a sociedade precisa aprender a 
conviver com isso! 
Vamos começar pela gente e levar essa lição adiante? Conto com vocês.

E pra quem quiser acompanhar a Amanda lá no Instagram e pegar essas dicas de amor próprio é só Seguir AQUI

Nós acompanhe também:

4 comentários:

  1. Arrasou amiga e isso mesmo,véu penso igual a vc.
    e já sofri e sofro MT com isso desrespeitos de pessoas magras ou nem tão magras ficarem com piadinhas, mas no final eu nem me importo o ser humano e um ser que precisa ser mais estudado na parte das ruindades desumildes sei lá.....
    Só sei que vc arrasa em tudo seja sempre assim 🥰

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Princesa você merece tá maravilhosa como sempre

    ResponderExcluir
  3. A Amanda é um exemplo. Eu a sigo no Instagram e adoro seu conteúdo. Muito bom para quem está em fase de aceitação e amor próprio.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela entrevista!
    É isso aí, levando as pessoas mais aceitação! Muito orgulho!!!

    ResponderExcluir